O Santo do Dia - São Luís Gonzaga (21 de Junho)

(ver anterior, dia 20)

São Luís Gonzaga
(21 de Junho)
Confessor
(festa de 3ª classe - paramentos brancos)



"Fizeste-lo, Senhor, pouco menor que os anjos" (intróito): elogio magnífico da admirável, inocência e a da vida angélica de S. Luís Gonzaga. Tudo nele respira pureza. Baptizado logo ao nascer, por correr perigo de vida, fez voto de virgindade aos nove anos. Aos dezasseis entrou na Companhia de Jesus em Roma, e morreu aos vinte e três anos em 1591 vítima da sua caridade junto dos empestados. Bento XIII proclamou S. Luís Patrono e modelo dos jovens.

(continuação, dia 22)

O Santo do Dia - São Gregório Barbarigo (17 de Junho)

(ver anterior, dia 15)

São Gregório Barbarigo
(17 de Junho)
Bispo e Confessor
(festa de 3ª classe - paramentos brancos)



Nascido em Veneza em 1625, da célebre família Barbarigo, veio a dedicar-se à carreira diplomática. Quando esta lhe acenava com os louros, abraçou o estado eclesiástico. Criado Cardeal, ocupou as sedes episcopais de Bérgamo e Pádua; numa e noutra dedicou-se de alma e coração a pôr em prática as determinações do Concílio de Trento. Morreu em 1697. Foi declarado Bem-aventurado por Clemente XIII em 1761 e João XIII inscreveu-o no catálogo dos Santos em 1960. 

(continuação, dia 18)

O Santo do Dia - São Vito, São Modesto e Santa Crescência (15 de Junho)

(ver anterior, dia 14)

São Vito, São Modesto e Santa Crescência
(15 de Junho)
Mártires
(festa de 3ª classe - paramentos vermelhos)

De S. Guido, ou S. Vito, que veio tornar.se um santo muito popular, sabe-se apenas que foi martirizado em Lucânia, na Itália do Sul. As suas relíquias foram transportadas para Alemanha, donde o seu culto se espalhou por todo o Ocidente. Invoca-se contra a epilepsia, chamada "dança de S. Guido". Os informes sobre S. Modesto e Sta. Crescência, sempre festejados juntamente com S. Vito são ainda menores.

(continuação, dia 17)

O Santo do Dia - São Basílio Magno (14 de Junho)

(ver anterior, dia 13)

São Basílio Magno
(14 de Junho)
Bispo, Confessor e Doutor
(festa de 3ª classe - paramentos brancos)

S. Basílio nasceu em Cesareia de Capadócia duma família muito cristã. Após os seus estudos em Constantinopla e Atenas, abraçou a vida monástica na província do Ponto. Escreveu as famosas "Regras" que trazem o seu nome; louvadas por S. Bento, ainda observadas em nossos dias pelos monges do Oriente.
Elevado à cadeira episcopal de Cesareia, esforçou-se por alimentar o seu rebanho com uma doutrina sólida e pura para o imunizar contra os perigos da heresia ariana, que, depois de negar a divindade de Cristo, acabava de rejeitar a divindade do Espírito Santo. S. Basílio escreveu sobre o Espírito Santo um tratado, que é contado entre as mais belas obras de Teologia.
Com seu irmão S. Gregório de Nissa, e seu amigo S. Gregório de Nazianzo, contribuiu muito para a conservação da Fé tradicional na Igreja do Oriente. Morreu em 379, dois anos antes do segundo Concílio ecuménico de Constantinopla, que devia consagrar o triunfo da ortodoxia. A Igreja Oriental venera-o como um dos seus quatro grandes Doutores.

(continuação, dia 15)

Sto. ANTÓNIO DE LISBOA AOS PEIXES

 
"Foi no dia de Santo António de 1654 que o Padre António Vieira pregou o famoso Sermão de Santo António aos Peixes.
Para recordar, partilhamos um excerto convosco:

«Mas a coisa que me escandaliza, peixes, de vós, é que vos comeis uns aos outros. Grande escândalo é este, mas a circunstância o faz ainda maior. Não só vos comeis uns aos outros, senão que os grandes comem os pequenos. Se for pelo contrário, era menos mal. Se os pequenos comeram os grandes, batara um grande para muitos pequenos; mas como os grandes comem os pequenos, não bastam cem pequenos, nem mil, para um só grande. (...) Considerai, peixes, que também os homens se comem vivos como vós.»

Na imagem, Santo António Pregando aos Peixes, pintado por Vieira Lusitano e pertencente à Capela de Santo António da Igreja de São Roque [Lisboa]." (Museu de São Roque - Lisboa)

O Santo do Dia - Santo António (13 de Junho)

(ver anterior, dia 12)

Santo António
(13 de Junho)
Confessor e Doutor
Padroeiro Equi-Principal de Portugal




(festa de 1ª classe - paramentos brancos)

Sto. António nasceu em Lisboa a 15 de Agosto de 1195, e recebeu no Baptismo o nome de Fernando. De 15 anos, entrou no mosteiro de Cónegos Regrantes, passando depois para a Ordem dos Frades Menores, onde não tardou a fazer-se conhecido como insigne e mui letrado nas ciências eclesiásticas, em especial na Escritura, de que foi mestre em Bolonha e Pádua. Morreu em 1231. Os seus numerosos milagres apressaram singularmente o processo da sua canonização. Foi inscrito no catálogo dos Santos por Gregório IX em 1232, e teve festa litúrgica em Pádua no primeiro aniversário da sua morte. Pio XII declarou-o Doutor da Igreja em 1944.

(continuação, dia 14)

O "Pai dos Jesuítas" - D. JOÃO III


"Foi neste dia, 11 de junho de 1557, que faleceu D. João III, Rei de Portugal.
Filho de D. Manuel I, subido ao trono em 1521, com a morte do pai, para um reinado que se revelou fundamental para a história da Casa-Professa de São Roque: foi com D. João III que a Companhia de Jesus se instalou em Portugal e foi o mesmo rei que, em 1553, ordenou a entrega da Ermida de São Roque aos Jesuítas, que a substituíram pelo atual complexo. As obras arrancaram dois anos depois, para a construção de uma igreja de três naves, de acordo com a vontade do rei. No entanto, alguns anos mais tarde, já após a sua morte, optou-se pela atual estrutura de nave única, cujos planos foram enviados de Roma para o efeito.
Na imagem, o retrato de D. João III, atribuído a Cristóvão Lopes e pintado à volta de 1550-60 segundo o modelo de António Moro, patente em exposição permanente no MSR." (by Museu de S. Roque)

Conta-se que Sto. Inácio de Loyola, com algum humor, dizia que o pai dos Jesuítas era D. João III, porque foi este rei quem promoveu a Ordem desde a sua primeira hora, e fortemente.